.

.

Este militante anti-cinzentista adverte que o blogue poderá conter textos ou imagens socialmente chocantes, pelo que a sua execução incomodará algumas mentalidades mais conservadoras ou sensíveis, não pretendendo pactuar com o padronizado, correndo o risco de se tornar de difícil assimilação e aceitação para alguns leitores! Se isso ocorrer, então estará a alcançar os objectivos pretendidos, agitando consciências acomodadas, automatizadas, padronizadas, politicamente correctas, adormecidas... ou espartilhadas por fórmulas e preconceitos. Embora parte dos seus artigos se possam "condimentar" com alguma "gíria", não confundirá "liberdade de expressão" com libertinagem de expressão, considerando que "a nossa liberdade termina onde começa a liberdade dos outros"(K.Marx). Apresentará o conteúdo dos seus posts de modo satírico, irónico, sarcástico, dinâmico, algo corrosivo, ou profundo e reflexivo, pausado, daí o insistente uso de reticências, para que no termo das suas incursões, os ciberleitores olhem o mundo de uma maneira um pouco diferente... e tendam a "deixá-lo um bocadinho melhor do que o encontraram" (B.Powell). Na coluna à esquerda, o ciberleitor encontrará uma lista de interessantes sítios a consultar, abrangendo distintas correntes político-partidárias ou sociais, que não significará a conotação ou a "rotulagem" do Cidadão abt com alguma dessas correntes... mas tão só a abertura e o consequente o enriquecimento resultantes da análise aos diferentes ideais e correntes de opinião, porquanto os mesmos abordam temas pertinentes, actuais, válidos e úteis, dando especial primazia aos "nossos" blogues autóctones... Uma acutilância aqui, uma ironia ali, uma dica do além... Assim se vai construindo este blogue... Ligue o som e... Boas leituras.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

A TENDA DOS MILAGRES



 A TENDA DOS MILAGRES!


Ena c'um catano! 
Cá tendes o Cidadão abt em cima do acontecimento!
???€???€?????€€€€€€€€€€??????????$$$$$???????€€€€€€€€€????????€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€!!

Mais cenas maradas...
€€€€€€€€€€€€€€€€???????????$$$$$$$$$$$$€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€!!!
Depois das portas e da borrachinha, desta feita, aí vem a...
Tenda dos Milagres!
€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€$$$$$$$$$$$$$€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€!!!
Nela podereis praticar o candomblé, lançardes os orixás, e quiçá, levardes cá-poêra nos olhos! Não encontrareis o Pedro Archanjo mas uma Maria que tão bem veio dos Céus!
Mas... nada de macumbas... tá?
Que dela tireis bons proveitos e melhores proventos!

8 comentários:

Tramagalense disse...

Arrancar árvores com dezenas de anos para substituir por este tipo de coisas é triste. A sombra natural é muito mais bonita e refescante. Os visitantes estrangeiros procuravam-nas e muitas vezes ví caravanas nas suas proximidades. Apartir de agora com a visão despesista destes autarcas, vão-se privar os caravanistas de poderem usufruir das sombras das árvores e de todo o espaço em sí. O mais interessante é que havia espaço para tudo, mas os planeadores não entendem dessa forma.
Hajam Euros.

saudações Cidadão.

O Cidadão abt disse...

Ciber Tramagalense...

Recordar-se-à que em tempos de antanho neste local se realizava um mercado semanal?

Debaixo das copas das árvores, os feirantes montavam os toldos onde transaccionavam os produtos, ou seja, conciliavam o meio ambiente com os interesses económicos...

Agora a coisa é mais abrangente, mais in!

De tão abrangente que foi necessário deitarem umas quantas árvores de sombra abaixo para aí esticarem um mega toldo...

Suponha que a iniciativa partia de um feirante mais abastado que não sabia o que fazer ao dinheiro...

A autarquia abrantina permitiria que tal projecto fosse ali implementado?

O que a edilidade alegaria para inviabilizar tal projecto?

Talvez um parecer da Administração da Região Hidrográfica do Tejo...

Talvez um estudo de viabilidade económica...

Talvez um estudo de impacto ambiental...

Talvez um estudo de urbanismo paisagístico...

Caro Tramagalense... repare que debaixo do toldo doravante cabem bastantes mais caravanas a levarem com o efeito de estufa induzido pela cobertura do toldo, à semelhança do que acontece no interior do edifício Pirâmide, antigo Convento de Santo António!!!

È assim... vá lá... uma tenda do circo autárquico... uma espécie de eco-arquitectura à moda de Abrantes com um toldo que os raios ulra-violeta destruirão!

E que tal investirem num toldo mais elevado que encobrisse os buracos no ozono?

Quanto aos euros, no painel diz serem comunitários e até parece que andam por aí três senhores do Fundo Monetário Internacional e da União europeia a cobrarem os juros da soberba e do esbanjamento, num país de tanga a apelar pela tia!

alcolobre disse...

Está tudo muito certo!Os feirantes podem regressar aos Mourões e montarem as bancas sem armarem os toldos!Vão ver no futuro as taxas dos terrados a servirem para pagar a manutenção do toldo!Ora toma!

Tramagalense disse...

Tenho uma vaga ideia desse mercado. Recordo-me melhor da pequena floresta existente e que foi totalmente destruida para dar lugar a estas coisas "in". Um belo exemplo dá a autarquia.

Na minha opinião aquele espaço, bem promovido, seria um chamariz para caravanistas, o que muito viria a beneficiar o Rossio. Mas as opções são mais "in".

Não dúvido da durabilidade da tela, hoje em dia fazem-se coisas bastante resistentes, mas no que respeita à sua limpeza aí a conversa é outra. O pó e outras matérias orgânicas farão do branco ... castanho e as humidades darão uma cultura permanente de "cogumelos". Como resultado, suponho, despesas de limpeza. Hajam Euros.

A Tenda dos Milagres vai servir, segundo a CMA, para a realização de eventos. Eventos, que na sua maioria serão promovidos pela CMA, para justificar a sua existência e o investimento feito. Mais despesa.
Na minha modesta opinião, nunca ví semelhante coisa em lado nenhum. Vejo-a como uma vaidade, pouco amiga do ambiente e que em nada vem beneficiar o espaço em sí. Reafirmo que as árvores eram mais importantes, como mais importante seria o parque para caravanas e ainda restava espaço para uma tenda temporária, que poderia ser instalada e removida sempre que fosse necessário. Assim não entendem as pessoas que dirigem os destinos deste concelho. È pena que as opurtunidades se percam por causa destas pessoas e não posso mais uma vez de lamentar o triste fim destas àvores que coitadas nunca poderão dizer aquilo que pensam desta gente.

cumprimentos

Aqui - Ali - Acolá disse...

Oi Cidadão abt.

As surpresas do quero posso e mando estão à vista de toda a gente.

Mas quando se fala em surpresas, elas tem sido de um autêntico aborto que se pode qualificar que em nada trazem de benefício ás gentes onde o bom sentido tanto de impacto visual como de útil e até de ambiente progressivo podem tirar conclusões sobre aquilo que aos nossos olhos é visível.

Pode-se até concluir com a palavra (TRISTEZA) com aquilo que se vê actualmente e o que era visível antes.

Destrói-se o que é natural e saudável, para se construir o que se vê onde o sentido das coisas não tem significado.

Entre as duas pontes, o lado norte e sul do tejo está ao gosto e prazer de quem assim destruiu a bela antiga paisagem que lá existia.

Tudo era natural, mas como os interesses do quero posso e mando falam mais alto, aí está à vista aquilo a que se pode chamar deitar €€€€€€€€€ $$$$$$$$$ à água onde o Zé tudo vai pagar mas que fica a interrogação de qual o gozo que tudo isto nos dá.

Chapéus há muitos, eis que agora mais um aparece para ser encavado pela cabeça abaixo do pagante a bom preço.

Enfim, é a isto que se chama a evolução pendente onde a balança só tem um peso.

Xau e bom Verão à sombra do chapéu estrela para saborear umas bjecas, que do céu caiu, para juntamente com uma boa sorna passar umas tardes em beleza.

.--. --- .-. -.-. .- | -- .. ... . .-. .. .-

O Cidadão abt disse...

Estimado alcolobre...

Os feirantes montarem as bancas poupando-se ao trabalho de estenderem os toldos... olhe que você tem ideias geniais!

O Cidadão abt disse...

Ena, Aqui-Ali-Acolá!

Já foi de férias estudar as línguas?

De facto, pelo formato, aquela Tenda dos Milagres mais parece um barrete do que um chapéu! Visto mais de perto temos a problemática colocação do mastro, que se encontra inclinado, senão vejamos:

“Para efeitos de enfeitar a avenida com balões dependurados, papelinhos coloridos trouxe o insólito sarilho à autarquia... É que esta edilidade agiu em conformidade com o gosto colossal de dois ou três e anunciou com muito orgulho, muita pompa e barulho, que o maior mastro do mundo é Português! Os olhares que se pasmavam na escalada não alcançavam nem o meio, nem o fim. Para muitos aquele mastro é má contenção de gastos e para outros, ele está muito bem assim O fascínio é humano e o que é grande em tamanho glorifica sempre muito quem o fez...”
Deolinda

Entendeu porque cá o Cidadão previamente escolheu a dedo, a música de fundo?

“Se corrê... o bicho pega e se ficá o bicho come
Então eu vou andá prá vê si mato à minha fome”

Gabriel o Pensador

O Cidadão abt disse...

Tramagalense...

Estamos na era do sintético... do PVC ao silicone, nas mais diversas formas de aplicação!

Os choupos libertavam uma espécie de algodão que se entranhava nas narinas sensíveis das novas gerações superprotegidas do meio ambiente e em consequência disso, com as defesas naturais vulneráveis às agressões ambientais!

Daí resultavam crises da asma, de rinites alérgicas, de conjuntivites e micoses em gente cujas defesas do organismo se desativaram!

São as gerações IN que não podem passar sem um ar condicionado nem percorrer 500 metros a pé sob um Sol intenso, que lhes dá uma coisa ruim!

Em termos militares, IN é a sigla que simboliza o inimigo e aqui, as árvores representam o outro lado da contenda.

Em Montalvo existe uma empresa que fabrica antenas retransmissoras, disfarçadas de pinheiros.

Ora bem, não seria mais prático substituir as árvores orgânicas pelas suas congéneres em material sintético, à semelhança das árvores artificiais do Natal?
Era uma lindeza que nem os almeidas necessitariam varrer a folhagem outonal!

Ah! Pois!

Os almeidas vão ter que se especializar em escalada para limparem uma tela onde se acumularão as poeiras, criando camadas de lamas e tarros mais escuros... e aplicarem umas caldas de fungicida que em nada atacará as restantes matérias orgânicas envolventes... chegada a invernada, sabe-se lá se com a subida do caudal do Tejo, a Tenda dos Milagres não irá parar ao Terreiro do Paço!

Cá o Cidadão vem sondando a opinião dos populares sobre qual a utilidade da Tenda dos Milagres, obtendo as respostas mais imaginativas que futuramente darão matéria para lançar mais um post!
Coisa gira!

Que pelo menos ganha em visibilidade à distância, lá isso ganha....

Quanto às árvores, estas não morreram de pé, à imagem da civilização que leva o mesmo destino...

Mais uma vez, vivam os tecnocratas do betão e do silicone e venham euros da União Europeia com fartura que nós não nos importamos de lhes pagar os juros!